Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BoaProva Blog

Blog do Prof.Perdigão. Desde 2007, notícias do BoaProva e comentários sobre educação e outros temas de relevância.

O festival do ensino a distância na contramão da qualidade

Em outubro, tivemos duas novidades na educação paulista:

 

1 - Decreto de José Serra cria a Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo) - o nome já diz tudo, mas vou comentar depois.

 

2 - Deliberação do Conselho Estadual de Educação (CEE) permite que até 20% da carga horária do ensino Médio, seja em escolas públicas ou em particulares, seja ministrada a distância.

 

Será a festa da economia em detrimento da qualidade. No caso 1, o governador ainda diz que "eu mesmo tenho o pé atrás". Decreto, como se sabe, só depende do Poder Executivo. Se o Serra assina, a responsabilidade é sua, somente, de mais ninguém, nem mesmo dos professores das universidades públicas que criarão o curso - muitos por obrigação profissional, diga-se. Serão, segundo a reportagem lincada, 5 mil vagas em Pedagogia na Unesp e 1600 vagas em licenciaturas na USP.

 

Se curso a distância fosse bom, mesmo, não veríamos editais de concursos públicos exigindo que o diploma de ensino superior do candidato tenha sido obtido na modalidade presencial. Não veríamos esses diplomas servindo apenas para promoções em certas empresas, para enfeitar paredes, ou finalidades ainda menos nobres. O curso a distância tem sido o mesmo ou pior que colocar mil pessoas na mesma sala para assistir a uma aula. Uma minoria tem acesso ao professor, e a maioria se esconde atrás do equipamento de teletransmissão, seja a TV por satélite ou o computador. Essa mesma minoria realmente aproveita o curso. O restante...

 

Mais grave é deixar que esse avanço do EaD, o ensino a distância, contamine o ensino Médio. Você tem dúvidas de que as escolas particulares adotarão imediatamente o EaD onde for possível? Eu não. Tenho visto, desde a decisão do CEE - que, em tese, deveria defender a Educação, atendendo aos anseios da população, e não destruí-la sem consultá-la -, anúncios de empregos para atuar com ministração de aulas via internet para o ensino Médio - pagam bem, é verdade, mas tirarão o emprego de muitos. E a eficácia desse ensino? Ainda mais se tratarmos do ensino de Ciências e Matemática, onde o apoio e o acompanhamento do professor são fundamentais? É ZERO!

 

Zero também é o índice de ética e respeito à educação de quem propõe tal projeto sem qualquer preocupação com a qualidade e o aproveitamento dos alunos. Zero ao Serra, zero ao CEE.

 

Para concluir, a segunda reportagem entrevistou Cesar Callegari, presidente da Câmara Básica do Conselho Nacional de Educação (CNE). Para ele, "o ensino a distância não é necessariamente ruim, mas a norma abre a chance de escolas buscarem só corte de custos, em detrimento da qualidade". É, o EaD não é necessariamente ruim; concordo, antes que me perguntem. Mas ele só deveria servir para superar a distância aluno-professor, e não para fazer com que milhares de alunos sejam atendidos por um único professor - o que, infelizmente, tem sido a regra até o momento no Brasil. Falta regulamentação no EaD para limitar o número de alunos por professor - é só ver o que fez o governador Serra, criando 6600 vagas em uma canetada e ainda ameaçando cobrar a conta das universidades REAIS, não VIRTUAIS.

 

Perde a educação paulista agora e perderá ainda mais depois, porque esses "telepedagogos" e "telelicenciados" serão os "professores" de nossos filhos no futuro.

 

Sobre o post anterior, do ranking do Enem

O Correio Braziliense de segunda-feira confirma, ao trazer os melhores do Enem no DF, que o estudante brasiliense Leonardo Lage foi terceiro colocado geral, em empate com outros seis candidatos. Portanto, a matéria do Correio Braziliense traz algumas confirmações:

 

- A primeira, que realmente a estudante Daniella Rantin, do Anglo de São Carlos, foi a segunda colocada geral, em empate com o carioca Renato Lopes de Almeida, entre os mais de 4 milhões de candidatos - mas também em empate com mais um candidato não identificado;

 

- A segunda, que o Enem/Inep e/ou a Cesgranrio vazaram a informação do ranking para órgãos de imprensa selecionados (pois, se você leu a matéria no link, viu, no segundo parágrafo, que "O Correio conta hoje, com exclusividade, quem são os alunos que mais brilharam no Enem." - grifo meu). Essa prática pode ser jornalisticamente correta, mas educacionalmente é péssima, porque faz do Enem um vestibularzão, no qual todos os cursinhos vão querer fazer o 1º lugar, mais que dar boas condições para a maioria de seus alunos. Aliás, isso é assunto longo, é para outro post.

 

- A terceira, também para quem leu a matéria: notou que Leonardo Lage não cursou o terceiro ano do ensino Médio até o fim? Aprovado na UnB (Universidade de Brasília, que é federal), simplesmente sua escola atestou que ele era um bom aluno e que já estava aprovado no terceiro ano, em pleno mês de julho. Deu-lhe o diploma e ele fez a matrícula na UnB. Isso é correto? Com certeza, sim. Aliás, no Brasil, é que não temos o hábito de fazer os superdotados avançarem mais rapidamente as séries. Em muitos outros países, isso é padrão, é justo com o aluno e com o sistema. Parabéns, também, à escola, que foi coerente e trocou um punhado de mensalidades pelo aluno cursando UnB desde já. E agora com o resultado do Enem, a escola ainda ganhou publicidade gratuitamente!

Ranking do Enem é real? São Carlos em segundo?

Os veículos de imprensa das Organizações Globo se apressaram em afirmar: a segunda colocada no Enem é de São Carlos. Será?

 

É muito importante dizer que, se alguma informação não está disponível a todos, fica mais difícil confirmar se ela é verdadeira. É princípio básico da informação e, obviamente, do jornalismo. E o ranking dos primeiros do Enem é uma destas informações.

 

Até agora, não ouvi falar de nenhum aluno que tenha se manifestado pela internet negando que Daniella Rantin, aluna do Anglo de São Carlos, tenha obtido a segunda melhor nota do Enem.

 

Mas encontrei, por outro lado, outra agência de notícias que sequer menciona o nome da moradora de São Carlos. É a Folhapress, do grupo Folha de S.Paulo, que vende reportagens para um número significativo de jornais locais, como o Jornal da Cidade de Bauru, de onde retiramos o link. Siga você também e veja que a Folhapress coloca Caio Nasser Mancini (Vitória, ES) na primeira posição, Leonardo Almeida Lage (Brasília, DF) na segunda e Renato Lopes de Almeida (Rio de Janeiro, RJ) na terceira, não fazendo menção à são-carlense.

 

Já o ranking d'O Globo traz Mancini em primeiro, Lopes de Almeida e Daniella empatados em segundo, e não menciona o brasiliense.

 

Portanto, é preciso cuidado antes de afirmar que qualquer das informações divulgadas é verdadeira. E, se o Inep quer mesmo vazar um ranking - de uma prova que nem deveria ter este caráter classificatório -, que o faça de maneira honesta, para que não haja controvérsia entre os órgãos de imprensa.

 

Por fim, independentemente disto tudo, é preciso reconhecer que o desempenho de todos estes estudantes foi notável e, portanto, merecem nossos parabéns.

 

Fuvest 2009 1ª fase: comentários e expectativas

Nas exatas, pouquíssima surpresa na prova da Fuvest. Seguem nossos acertos e erros.

 

Química: o processo de purificação da água em estações de tratamento é detalhado em nossa apostila. Nenhuma dificuldade para o aluno BoaProva. Quanto às demais questões, surpreendeu a quantidade de questões de Q. Orgânica (4 das 10), mas nada que não tenha sido abordado por nós.

 

Física: No ano passado, nada de forças e uma única questão envolvendo energia mecânica. Neste ano, previmos uma questão com força e uma com momento linear. Na mosca. Falhamos ao acreditar que não haveria a cobrança de indução eletromagnética.

 

Matemática: Probabilidade fácil como sempre, lei dos cossenos como sempre, logaritmos como sempre. Mas a Geometria estava mais fácil que em anos anteriores. Quem estudou muito as provas anteriores, como orientamos, chegou com sobras para fazer a prova de Matemática.

 

Notas de corte: Por uma série de razões que já explicitei neste blog, não gosto da forma como as coisas vêm sendo conduzidas no Etapa. Mas uma ferramenta interessante, que vinha se tornando tradicional, mas que até agora poucos (pelo menos aqui no interior) consultaram, é a previsão de notas existente no site daquele cursinho convencional. Para as carreiras mais concorridas, é relativamente confiável.

 

O que se aponta é uma manutenção das notas de corte em relação ao ano passado. Dois fatores se opõem: o ligeiro aumento das notas dos candidatos, contra um ligeiro decréscimo na concorrência. "Tudo muda para que tudo fique como está", já dizia o príncipe de Lampedusa.

 

Quanto a outras carreiras, é melhor não confiar. Em 2008, a Informática São Carlos teve corte 40. O Etapa previu 70, e para este ano, neste instante, exibe 68! É um caso extremo, mas vale dizer que eles afirmam que a média deles é confiável quando é composta por pelo menos 30 contribuições, e já foram dadas 24. Portanto, mesmo que chegue a 30, não é possível reverter o desvio grosseiro.

 

Página do Secular também atualizada

Demorou, mas chegou. Está no ar a página atualizada do Secular.

 

A revista Cultura Secular teve a página atualizada, mas ainda não recolocamos no ar os números desde a segunda edição de 2007. Acho que isso ficará para a próxima semana.

 

Comento a Fuvest amanhã, terça-feira.

 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

subscrever feeds